Devagar e sempre

Padrão

Eu iniciei as postagens do meu blog com Carlos Drummond de Andrade e finalizo o ano de 2008 com um artigo da Marcia de Luca, fundadora do CIYMA e uma das profissionais de Yoga que eu mais respeito e admiro. Eu li esse texto na Revista da Gol e reproduzo aqui, enquanto descanço os meus dedos e cérebro. Retorno com os meus artigos exclusivos já na próxima semana. Em relação ao texto da Marcia, espero que faça sentido para você como fez para minha reflexão no momento em que eu escrevo as minhas resoluções de ano novo e o meu planejamento estratégico pessoal para 2009.  Feliz Ano Novo!

 

Firmeza e perseverança formam uma dupla imbatível para transformar em realidade um outro ditado: querer é poder.

 

Você já ouviu muitas vezes este ditado: querer é poder. E tantas outras vezes pensou: ah, mas eu queria ser mais rico, ou mais bonito, ou mais forte – e não sou. Mas o fato é que poderia ser – se tivesse suficiente perseverança para ir atrás daquele objetivo.

 

Na maioria das vezes, ao desejarmos algo, tornamos aquilo uma meta. A princípio nos lançamos como super-homens ou mulheres maravilhas em direção ao propósito eleito. Mas, após algum tempo, o entusiasmo inicial tende a abrandar, a poderosa energia do herói ou heroína principiante começa a enfraquecer ao primeiro obstáculo encontrado no caminho. A partir daí, arranjamos desculpas para não finalizar o que nós mesmos determinamos. Como é nossa própria falta de perseverança que nos impede de alcançar nossos objetivos, sofremos com culpa por nosso fracasso, o que nos faz sentir incapazes, diminuindo nossa auto-estima.

 

Assim, fortalecemos o ciclo cármico descrito nos Vedas: cada ação gera em nossas células uma memória, que por sua vez gera um desejo, que vai gerar a repetição da mesma ação. E, naturalmente, entramos em um círculo vicioso, cada vez mais profundo, de fracasso e impotência. Escolhemos um novo objetivo, nos dedicamos a ele com coragem durante um certo tempo, mas logo nos casamos. Não atingimos o objetivo e passamos a não mais acreditar que querer seja poder.

 

Paz no coração

 

Tudo isso é um grande engano: a questão é querer e fazer acontecer – com firmeza e perseverança, devagar e sempre. É preciso banir a preguiça e a falta de atenção, que nos deixa em um estado de letargia e dispersão. É preciso nutrir o aquietamento da mente, que nos abre para a evolução espiritual e o bem-estar. A mente quieta é sinônimo de viver em paz – a paz de que nosso mundo tanto precisa! E, quando você encontra a paz dentro do seu coração, reflete-a no espelho da consciência coletiva, contribuindo para mudar o mundo a partir da sua própria mudança!

 

Aproveite este vôo para analisar e rever seus objetivos. Faça uma lista e determine suas prioridades. Leia essas metas todos os dias antes de dormir e determine que você seguirá com vontade, foco, firmeza e perseverança. Medite. Lembre-se que, ao treinar o aquietamento da mente, você penetra no campo da pura potencialidade, das infinitas possibilidades – e conquista o poder de criar a sua própria realidade.

 

Marcia de Luca é fundadora do CIYMA, em São Paulo e discípula do médico indiano Deepak Chopra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s